segunda-feira, 3 de agosto de 2009

PROFISSÃO AMA


Exerci a profissão de "Ama" por 7 anos e com a experiência da maternidade, especializei-me à cuidar de bebés. Nesta profissão, a melhor propaganda, funciona com o método mais antigo que é o boca-a-boca.
Nunca contei ao certo, mas acredito que umas 70 crianças ficaram aos meus cuidados e muitos laços de amizades perduram até hoje. É muita responsabilidade, mas o lado bom é vê-los crescerem, darem os primeiros passos, os primeiros sons e o olhar terno e sereno.
Poucos foram os maus entendidos, mas um ficou marcado, quando uma mãe foi logo taxativa quando me disse que o filho dela não estava acostumado com regras.
Imediatamente respondi que a criança não poderia ficar, pois tudo nesta vida há regras e o que seria desta criança sem os mais básicos conhecimentos de boa conduta. Há pessoas que não nasceram para ser pais, já que a ignorância e a mediocridade podou toda a forma de bom senso.
Houve tantas Carolinas, Marianas, Inês, Tiagos, Daniel, Rodrigos, Isabelas, Beatriz, João Miguel e uma em especial de nome Raquel. Era uma bebé de apenas 20 dias, sendo a mãe uma formanda do Curso de Hotelaria e Turismo do IFP e que não poderia imterromper o curso, senão teria que repeti-lo no próximo ano e faltava pouco para concluir.
Foi indicação de uma funcionária do "Centro de Emprego de Cascais que disse à mãe, que sabia de uma "Ama" de confiança e muito responsável de nome Márcia.
Nunca soube o seu nome, mas agradeço o elogio e o reconhecimento de um trabalho que dediquei com afinco, inclusive abrindo mão de alguns prazeres, como ir de férias no mês de Agosto. Há imensas crianças que não podem curtir suas tão merecidas férias escolares, devido alguns pais trabalharem neste período. E foi por causa delas e por elas é que sempre preferi ficar por cá.

1 comentários:

Kitty disse...

Quando for mãe, estás contratada :o)